<$BlogRSDUrl$> <body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5737216\x26blogName\x3dAbstranho\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://aemitis.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://aemitis.blogspot.com/\x26vt\x3d-7622706113473169726', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

quinta-feira, julho 26, 2007

Ponteiros De Relógio


Era tarde demais. Era com este pensamento que despertava todos os dias. O sol que entrava pela janela, rudemente encerrada na madrugada anterior, perdia o fulgor de mais um dia. Depois de ignorar o despertador, de contorcer-se na cama e apanhar os lençóis caídos, tentava lembrar-se da última vez que tinha sentido o calor do sol matinal ou o agitar fresco e vigorante das ruas daquela cidade. Tentou visualizar e individualizar uma por uma as cores que compõem o horizonte da aurora. Em vão. As pálpebras densas e empapadas de sono conseguiam cobrir o mais profundo dos pensamentos. Com uma honestidade atroz, a sua imaginação apenas lhe permitiu evocar os tons de meia dúzia de imagens cinematográficas de prados verdejantes e vales misteriosos onde nunca haveria de estar. Frustrado, com as pernas pesadas e os restos de um sonho ininteligível a serpentearem-lhe os olhos, a vontade de voltar a dormir inundava-lhe o espírito. Apenas dez minutos mais, ou doze. Talvez trinta. Mas era tarde demais.






............::::::::::::::::::::::::::::::::::::


música: MGR - III
pensamento: um texto coberto de pó lunar

Æmitis :: 04:32 :::

Comentários: Enviar um comentário

 

Ambiente Recorrente

Contacto

Cruzamentos

Memória

Informações