<$BlogRSDUrl$> <body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5737216\x26blogName\x3dAbstranho\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://aemitis.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://aemitis.blogspot.com/\x26vt\x3d-7622706113473169726', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

quinta-feira, abril 20, 2006

Expirar #8


Todos os meus filhos serão meus anagramas.


............::::::::::::::::::::::::::::::::::::


música: Tool - Intension
pensamento: linhas

Æmitis :: 04:11 ::: (0) Apêndice-[s]

Nudez Em Veludo


Quantas palavras te devo? Quanto do meu corpo precisas, ainda? Consegues ver-me sucumbir entre as tuas coxas? Consegues ver o branco dos meus olhos alastrar-se e... inundar-me? Trouxe-te sangue, de novo. Fresco. Cálice sagrado, fazes-me crer. Tornou-se habitual este débil arrastar de pernas e este rendido presente. Deixa-me entrar novamente. Entre o emaranhado de cabelos e o líquido vestígio da noite, uma vénia. Um corredor em serventil disposição de membros dispersos de antigos amantes. A tua cauda alonga-se continuamente e o teu odor circunda-me a sombra. Num trono entre lençóis, decapita-me.


............::::::::::::::::::::::::::::::::::::


música: Tool - Rosetta Stoned
pensamento: pontas de dedos

Æmitis :: 03:57 ::: (1) Apêndice-[s]

quarta-feira, abril 05, 2006

Algarismos


Que mapa é este? Que sítio é este? Que localização geográfica tenho e que designação demográfica assumo? Que utilidade relativa, proporcional e comparada tenho? Qual a minha posição hierárquica, funcional, estrutural e comunicacional? Em que grupo estou? Em que segmento, secção, fracção, alvo, potencial expansão ou eventual descoberta? Diz-me se estou bem cotado, se estou bem referenciado, se gostam de mim e se vou voltar amanhã. Que tarefa precisa de ajuda e que cliente precisa de ser cumprido? Que preço? Que preço? Que preço? Que preço? Diz-me que horas são. Diz-me o tempo. Quanto tempo? Quanto? Quanto tempo tenho e quanto mais consegues dar-me? Onde está o meu cartão, o meu nome, a minha etiqueta, o meu rótulo? Onde é que eu me arrumo? Em que linha, em que parágrafo, em que página, em que índice, em que bibliografia? Qual o formulário autorizado? Qual o procedimento testado? Qual o método verificado, experimentado, aprovado e molestado? Quais os fluxos, as características, os factores, as opções, os passos por passos e passos em passos? Quem me deixou aqui? Quem me trouxe? Tenho remetente? Tenho marcas? Tenho? Diz-me como sabes que sou eu. Diz-me como me encontraste. Porque falaste comigo? Porque te sentaste ao meu lado? O que estás a tentar fazer? O que queres de mim? O que queres que faça? Eu conheço-te? Diz-me onde posso configurar, personalizar, form..........atar, gerir, defini.....r, design..........ar, infor.....mar, reformular, intr.....oduzir, autorizar, ..........precisar, registar, res.....ponder, alistar, associar, alertar, fil.....trar, submeter, e.....nviar, .....preferir, .....opinar, escolher....., selec.....cionar, ident.....ificar, seg.....mentar....., ordenar, i.....nteragir, .....partilhar, com...............unicar, fal.....ar, conversa.....r, escre.....ver, retri.....buir, ret..........roagir, revel.....ar, integrar, confir.....mar.......... errar. Refazer.


............::::::::::::::::::::::::::::::::::::


música: Radiohead - 2+2=5
pensamento: estudo demarcado

Æmitis :: 03:49 ::: (0) Apêndice-[s]

terça-feira, abril 04, 2006

Penduradas


Estou tão farto das minhas mãos. Outrora senti-me fascinado por elas, levava-as erguidas pela rua, mostrava-as a desconhecidos e fazia truques que conseguiam aplausos. Mas agora, repudio-as e sinto-me constrangido apenas por as ter no final duns esguios braços. Agora, são apenas extremidades, apenas alguns pequenos ossos ligados com músculos, também eles pequenos, e alguma pele e veias. São meras ferramentas que utilizo com desdém. Não as renego, isso seria ridículo, mas sempre que posso guardo-as nos bolsos, escondo-as dentro da camisola ou embrulho-as em panos ou cobertores (se estiver frio). Não cumprimento ninguém com elas, nem aceno quando partem.

Temperatura, dor, prazer, texturas, contornos, ainda funcionam, mas já não gosto delas. Fartei-me. E os truques que faço, todos aqueles que já não queres ver, nunca foram grande coisa.


............::::::::::::::::::::::::::::::::::::


música: Coldplay - Sparks
pensamento: algures entre qualquer coisa

Æmitis :: 02:56 ::: (1) Apêndice-[s]

 

Ambiente Recorrente

Contacto

Cruzamentos

Memória

Informações